Proteção contra a Leishmaniose

Proteção contra a Leishmaniose

Oferta

Campanha disponível nas Clínicas Veterinárias Bom Jesus

De 6 de Março a 30 de Abril de 2024


Não deixe escapar esta oferta! Proteja o seu cão, entrando em contacto com o Centro mais próximo de si.

Clínica Veterinária de Amares

Clínica Veterinária de Vila Verde

Centro Veterinário de Palmeira

Encontre abaixo as respostas às perguntas mais frequentes

O que é a Leishmaniose Canina?

A Leishmaniose Canina é uma patologia grave que pode comprometer seriamente o bem-estar do seu cão com a agravante de ser uma doença zoonose, o que significa que pode ser transmitida pelos animais aos seres humanos.
 
A mosca da areia, também conhecida como flebótomo, é o vetor responsável pela transmissão da leishmaniose.

O flebótomo é um pequeno inseto que atua como transmissor do parasita causador da leishmaniose. Especificamente, a leishmaniose canina é transmitida aos cães através da picada de flebótomos infetados com o parasita Leishmania. Estes insetos são pequenos e muitas vezes passam despercebidos, o que torna a prevenção da leishmaniose canina um desafio e o respetivo tratamento bastante complexo.

Como prevenir a Leishmaniose Canina?

Para evitar a doença, algumas medidas de prevenção são recomendadas:

Controlo de Vetores
  • Use coleiras repelentes de insetos.
  • Aplique repelentes tópicos recomendados pelo Médico Veterinário.
  • Mantenha os cães dentro de casa durante o amanhecer e o entardecer, quando os mosquitos transmissores são mais ativos.
Higiene e Limpeza
  • Mantenha o ambiente limpo para reduzir a presença de mosquitos.
  • Elimine áreas de água parada, onde os mosquitos se podem reproduzir.
Testes e Vacinação
  • Realize testes regulares para detetar precocemente a presença do parasita.
  • Considere a vacinação, se disponível e recomendada pelo Médico Veterinário.
Cuidados Gerais
  • Mantenha a saúde do animal em dia para fortalecer o sistema imunológico.
  • Consulte regularmente um Médico Veterinário para monitorizar a saúde do seu cão.
  • É importante lembrar que a prevenção é essencial, já que o tratamento da leishmaniose canina pode ser desafiante.
  • Sempre que possível consulte um Médico Veterinário para obter orientações específicas e recomendações personalizadas para o seu cão.

Qual a importância da Vacinação contra a Leishmaniose Canina?

A vacinação contra a Leishmaniose é fundamental para proteger os animais, especialmente cães, contra esta patologia grave. Lembre-se que ao vacinar o seu cão, está não só a protegê-lo, como outros seres à sua volta, incluindo humanos. 

Segundo a Agência Europeia do Medicamento a vacinação é considerada uma ferramenta segura e eficaz no controlo de propagação da doença.

Recomenda-se a imunização ativa de cães não infetados através da vacinação a partir dos 6 meses de idade, de forma a reduzir o risco de desenvolvimento de uma infeção ativa e/ou desenvolvimento da doença clínica após exposição à Leishmania infantum.

Posso vacinar o meu cão contra a Leishmaniose se ele estiver infetado com a doença?

Não é recomendado vacinar um cão contra a Leishmaniose, se o mesmo se encontrar infetado com a doença. No entanto, se a sua intenção inicial era vacinar o seu cão contra o vírus Leishmania infantum e o vírus for detetado, o teste permanece gratuito para o tutor. 

Contudo, é essencial que siga o plano de tratamento recomendado pelo Médico Veterinário, de forma a combater o mais rapidamente possível os danos que a Leishmaniose poderá causar no seu animal.

É necessário testar o meu cão para a Leishmaniose antes de o vacinar?

Sim, é recomendável testar o seu cão para a Leishmaniose antes de administrar a vacina. O teste ajuda a diagnosticar precocemente a Leishmaniose e determinar se o cão já foi exposto ao parasita.

A vacina contra a Leishmaniose é indicada apenas para animais assintomáticos (que não apresentam sintomas) e com resultados sorológicos não reagentes para a doença.

No entanto, se o teste der positivo e consequentemente o seu cão não puder ser vacinado, o custo do mesmo não lhe será cobrado. Porém, é essencial que siga o plano de tratamento recomendado pelo Médico Veterinário.

As pipetas e o uso de coleiras repelentes de insetos substituem a vacinação contra a Leishmaniose?

As pipetas e o uso de coleiras repelentes de insetos embora sejam medidas complementares de prevenção, não substituem a vacinação contra a Leishmaniose. 

A vacinação é uma medida preventiva que estimula o sistema imunológico do animal a desenvolver defesas contra o parasita Leishmania infantum. Além de ajudar a reduzir a gravidade da doença, a vacinação minimiza os sintomas, caso o seu cão seja exposto ao parasita, após ser vacinado. 

Já as pipetas e as coleiras apesar de conterem substâncias repelentes que afastam os insetos vetores da leishmaniose (como os flebotomíneos), não fazem com que o seu cão produza uma resposta imunológica face aos danos causados pela exposição ao parasita Leishmania infantum, ao contrário do que acontece com a vacinação. 

IVC Evidensia

Como prevenir o seu cão da leishmaniose

Leia na íntegra o artigo sobre Proteção contra a Leishmaniose produzido pelos Diretores Clínicos das Clínicas Veterinárias Bom Jesus