Existe uma idade certa para se castrar um gato ou esterilizar uma gata?

A castração/esterilização são procedimentos cirúrgicos comuns e recomendados para gatos, que se baseiam na remoção dos órgãos de reprodução. No caso das fêmeas este procedimento é mais conhecido por esterilização e envolve uma ovariohisterectomia que consiste na remoção dos ovários e por vezes do útero. Já no caso dos machos, o procedimento é mais conhecido por castração, na qual são removidos os testículos durante a cirurgia.   

No entanto, surge uma questão importante: qual a idade ideal para esterilizar uma gata e castrar um gato? Neste artigo, exploraremos as vantagens e questões a ter em conta relativamente à esterilização precoce e tardia.


Esterilização precoce (antes dos 6 meses de idade):

A castração precoce refere-se à realização da cirurgia antes que o gato cumpra os 6 meses de idade, geralmente acontece entre as 8 e as 16 semanas. Trata-se de uma prática que tem vindo a ser generalizada e apoiada por inúmeras organizações veterinárias e de bem-estar animal. Alguns dos benefícios da castração precoce incluem:

Controlo da população de gatos - A castração de gatos antes de atingirem a maturidade sexual evita a reprodução indesejada, ajudando a controlar a população de gatos selvagens e diminuindo o número de gatos abandonados em abrigos.

Menor risco de doenças reprodutivas - Ao remover os órgãos reprodutivos, o risco de doenças como tumores mamários em fêmeas e problemas de próstata em machos é significativamente reduzido.
Melhorias a nível comportamental: A esterilização precoce pode contribuir para uma diminuição do comportamento territorial, marcação do território através da urina e agressão entre pares.

Rápida recuperação - Os gatos jovens tendem a recuperar mais rapidamente da cirurgia em comparação com os gatos adultos.

Castração/Esterilização tardia (após os 6 meses de idade):

Considera-se castração/esterilização tardia quando cirurgia é realizada após os 6 meses de idade, altura em que o gato atingiu a maturidade sexual. Embora a esterilização tardia ainda seja uma prática recorrente e benéfica, existem algumas questões que deverão ser tidas em conta:

Aumento do risco de reprodução - Se o gato não for esterilizado em idade precoce, existe um maior risco de se reproduzir antes da cirurgia, o que contribui para a população de gatos indesejados e consequentemente abandonados. Muitas vezes é comum ocorrerem fugas por parte dos gatos machos que correm o risco de serem atropelados, ficarem feridos por envolverem-se em brigas com os seus pares, ou contraírem infeções e outro tipo de doenças.

Possível comportamento já estabelecido - Em alguns casos, comportamentos territoriais ou de marcação de urina em machos podem ter sido estabelecidos antes da esterilização, o que provoca algum incómodo para os seus tutores por urinarem em locais indesejados. No caso das fêmeas os períodos de cio podem causar grande transtorno e incómodo não só para elas, como para os tutores, pois tendem a ser dolorosos e ruidosos.
Risco temporário de doenças reprodutivas: Se a esterilização for atrasada, o gato pode estar em risco de desenvolver problemas reprodutivos antes da cirurgia.

A idade ideal para esterilizar um gato pode variar com base nas circunstâncias individuais e nas políticas locais de bem-estar animal que podem diferir de país para país. 
 As opções de esterilização precoce e tardia oferecem benefícios significativos para a saúde e o bem-estar dos gatos, além de prevenir o aumento da população de gatos abandonados. É importante discutir com o médico-veterinário qual é a opção mais adequada para o seu gato, tendo em conta a sua idade, saúde e ambiente. 
 De qualquer forma, lembre-se que nunca é tarde para castrar um gato ou esterilizar uma gata.    A castração/esterilização é uma medida responsável que ajuda a promover a saúde e a felicidade dos gatos, além de contribuir para o bem-estar geral da comunidade animal.

Encontre um Veterinário perto de si