Dicas para manter o seu cão seguro e feliz na praia

Nada melhor do que um belo passeio na praia com os nossos cães, terem a liberdade para correr livremente, beneficiarem da tão necessária vitamina D e brincarem na água.  No entanto, existem situações que os poderão colocar em perigo, especialmente em dias de elevadas temperaturas. 
Nada melhor do que um belo passeio na praia com os nossos cães, terem a liberdade para correr livremente, beneficiarem da tão necessária vitamina D e brincarem na água.  No entanto, existem situações que os poderão colocar em perigo, especialmente em dias de elevadas temperaturas. 
Neste sentido, é objetivo deste artigo partilhar consigo algumas dicas para que possa manter o seu cão a salvo e desfrutar de um dia de praia bem divertido e inesquecível. 


1 – Assegurar que a presença de cães não é interdita na praia onde pretende ir

Se está a pensar dar um passeio na praia com o seu cão, deve primeiro que tudo certificar-se que a presença de cães é bem-vinda na praia onde pretende ir e na altura em que quer ir. Muitas praias concessionadas interditam a presença de cães em épocas balneares, pelo que se arriscar poderá estar sujeito ao pagamento de uma coima. 
 Normalmente as praias não concessionadas costumam ser dog friendly durante o ano inteiro. Além disso, os cães de assistência são sempre permitidos em qualquer praia independentemente da época do ano em que nos encontramos.


2 – O que deverá levar?

Eis alguns itens que convém transportar consigo:
•    Trela e Coleira
•    Água e tigela
•    Protetor solar para cães
•    Toalhas e cobertores
•    Sacos para recolher os dejetos do seu cão
•    Brinquedos e guloseimas para cães
•    Kit de primeiros socorros para cães


3 – O contato com a água deverá ser gradual

Caso o seu cão esteja a ter contato com o mar pela primeira vez, ou nunca na vida nadou, entre com ele na água de forma lenta e segura, evitando correntes e fortes ondulações. Pode começar por atirar uma bola logo no início da espuma para tentar perceber como reage, se sente confiança em ir mais longe, ou se pelo contrário é uma sensação que quer de todo evitar.     Si tiver vontade de nadar lado a lado com o seu cão, use um colete salva-vidas para cães, pois trata-se de um equipamento que lhe proporcionará uma flutuabilidade extra e os manterá seguros. No entanto, deverá assegurar-se que o colete é o modelo adequado ao seu tamanho e se o mesmo está bem colocado.
 Acima de tudo, procure não forçar o seu cão, pois nem todos apreciam o mar, nem mesmo de nadar. Existem outras formas de diversão como jogos interativos de bola, corridas ou escavaduras na areia.


4 – Complicações causadas pela ingestão de areia 

Torna-se quase inevitável que os cães engulam areia durante as brincadeiras com bolas outros objetos, sobretudo se tiverem húmidos. No entanto, o consumo de areia em excesso poderá provocar complicações intestinais, já que é quase impossível para os cães extraírem-na através das necessidades. 
 Também a areia poderá conter micro-organismos suscetíveis de provocar alergias ou lesões na pele. Se algum destes cenários acontecer, procure de imediato um médico veterinário. 


5- Não são apenas os seres humanos que são impactados por queimaduras solares

É importante estar ciente de que os cães também podem sofrer queimaduras solares, especialmente aqueles com pelo branco ou claro e onde o pelo é fino sobre o nariz e as orelhas. Considere o uso de protetor solar adequado para animais de estimação e certifique-se que o seu cão tem sempre acesso a sombra e a água. 


6 – Evite picadas de insetos

É frequente a permanência de mosquitos, vespas, pulgas entre outros parasitas externos, cuja picada nos cães poderá causar grandes danos, como doenças intestinais, dirofilariose ou a leishmaniose.